Combustível usado em aviões pode estar adulterado

Suspeitas de combustível de aviação (AVGAS) começaram a ser divulgados por pilotos por meio vídeos nas redes sociais, como mostra a reportagem da TV Record exibida no dia 11 de julho de 2020. Isso levou a mobilização de associações e do professor Dr. Georges Ferreira sobre o assunto. O risco para à segurança operacional é eminente.

Segundo dados da ANP (2020), desde dezembro de 2018 esse combustível consumido no Brasil é importado dos Estados Unidos. E desde abril de 2017, o único fornecedor do combustível é a Petrobrás. Após a entrada do combustível no país ocorre desde setembro de 2019 pelo Porto de Suape (Ipojuca-PE) e a última importação foi em fevereiro de 2020 (92,356 mil m³). Do porto o transporte vai para as 5 distribuidoras e em 12 cidades com bases autorizadas, essas são a AIR BP Brasil, AIR BP PETROBAHIA, GRAN PETRO, RAIZEN COMBUSTÍVEIS S.A. e REDE SOL FUEL DISTRIBUIDORA S/A. A Figura 1 mostra o percentual de mercado das distribuidoras no mês de maio de 2020.

Figura 1 - Porcentagem de mercado das distribuidoras de combustível em maio de 2020.

A responsabilidade do controle da qualidade nos produtos importados se dá pela Resolução ANP n° 680/17, com o contrato com 5 firmas inspetoras que fazem parte do Programa de Monitoramento da Qualidade de Combustível. A ANP tanto pelo seu site quanto pelo sei Sistema Eletrônico de Informação, não entrega de forma transparente o resultado desse programa, no qual restringe com a frase "Os resultados alcançados logo no início do Programa foram expressivos, como demonstram os índices de amostras com presença de marcador. De fato, em 2002 os índices de amostras com presença de marcador giravam em torno de 20%. Nos anos seguintes, esse percentual foi sendo sistematicamente diminuído, atingindo atualmente a marca de menos de 1%".

Além dessa recente crise, que pode levar a paralisação de toda a frota de aeronaves à pistão do país, lembramos que os preços altos e a falta de uma rede de revendedores em todos os Estados, prejudica o desenvolvimento da aviação regional. E é essa aviação que tem mantido a conectividade do país após a paralisação da aviação comercial com à crise do COVID-19. A precária infraestrutura de transporte do Brasil, tanto de rodovias, ferrovias e hidrovias, faz da aviação geral, principalmente aos operadores que utilizam aeronaves à pistão, chegarem no interior do Brasil, levando a movimentação da economia, atendimento da saúde dessa população e outros.

Para ter acesso completo ao nosso Parecer do Mercado de Combustível de Aviação no Brasil, atualizado sobre a suspeita de contaminação, entre em contato com a Embarque Tec Desenvolvimento de Negócios em Aviação pelo e-mail comercial@embarquetec.com.br.

Featured Posts
Recent Posts
Follow Us
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic
Search By Tags